De Curioso a 23 de Outubro de 2008 às 21:59
Boas...

Muito interessante...

Em relação à parte sobre as mulheres... acho que não há lógica nem matemática que consiga explicar o seu comportamento... são demasiadas variáveis...:-)

Voltando ao post...

com partículas tão grandes e com um tempo atómico muito lento seria fácil explicar uma velocidade da luz muito maior que a actual (claro que para um observador atómico a velocidade é sempre vista com o mesmo valor) e logo a inflação seria possível nos instantes iniciais ( penso eu)...

Só uma questão ...
onde poderemos encaixar uma inflação no desvanecimento se não há expansão, ou melhor, não houve Big Bang?

Curioso.
De anonimodenome a 24 de Outubro de 2008 às 01:00
sou contra o gravitão, contra o inflatão e outros ãos (ou ões?) . A velocidade da luz é constante p.ex. para cobrir a distância 1 no passado usava 1 unidade de tempo, e agora a mesma distância é descrita por 100 unidades e necessita correspondentemente 100 unidades de tempo actuais e
1uni.dist./1uni.tempo = 1 ; 100 u.d./100 u.t. = 1.

Inflação, sou contra. Ela foi inventada só para complicar a vida. No Brasil, faz alguns anos, que a inflação era galopante. Uma pessoa no restaurante pagava antes de comer. Pagando depois seria mais caro.


10^100 : 10000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
número bem maior que o número total de partículas do universo. (para quem acredita que o universo é finito)
por este site será 10^79 partículas
http://www.redepsi.com.br/portal/modules/newbb/viewtopic.php?topic_id=423
(sei que não será a fonte mais apropriada, mas ilustra o pensamento)

Livra-te da Inflação. Não está a fazer falta.

Pelo sim, pelo não, vou reler o post anterior. Acho que o alf atirou com a inflação para o lixo nesse post da viagem ao passado.

Já estava com carência de post neste blog.
Todos os dias vir aqui e népia.
Podendo, tinha metido uma cunha ao alf.

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres