De antonio a 23 de Outubro de 2008 às 10:32
O Universo é uma mulher! Cheia de explosões incontroláveis, inflações inexplicáveis, ruído de fundo permanente (e em todas as direcções) e para a compreendermos falta sempre qualquer coisa, uma mala, um ramo de flores, um par de sapatos... são os inflatões !

A nossa ignorância é esse ruído de fundo isotrópico.
De alf a 23 de Outubro de 2008 às 11:20
António

Boa comparação. Mas isso é como nós, homens, mesmo que ETs, vemos as mulheres, fruto da nossa ignorância isotrópica sobre elas!

Mas o Universo, como veremos, é espantosamente «certinho direitinho»; se calhar como as mulheres...

Como toda a gente sabe, os cientistas normalmente não percebem nada de mulheres; entao, como poderiam perceber o Universo?

Donde:

«Se queres perceber o Universo começa por perceber a tua mulher!"

A conclusão é interessante, mas a minha experiência é ao contrário; ou seja, eu comecei por aí mas depois virei-me para o Universo, que verifiquei ser muito mais fácil de entender que as mulheres (para nós, homens); mas depois de entender o Universo verifiquei que fiquei muito mais apto a entender as mulheres. Logo, a frase correcta é:

«Se queres entender as mulheres, começa por entender o Universo».

Está agora a entender o grande objectivo deste blogue: estamos a estudar o Universo para no fim conseguirmos entender as mulheres. O que não tem nada de estranho pois, como já disse o Universo evolui para a complexidade e a coisa mais complexa nele é naturalmente a última a ter sido produzida: a Mulher
De antonio a 23 de Outubro de 2008 às 15:28
Fiquei isotropicamente sem esperança... embora fazer esse percurso por partes, me pareça boa ideia, talvez os mistérios do universo nos sejam mais acessíveis.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres