De Peter15 a 26 de Outubro de 2009 às 17:27
Bem, não sendo um "referee" e muito menos um pretensioso, fiz uma 2ª leitura mais cuidada ao texto. Julgo ter compreendido a noção de "rigid body" e todas as considerações feitas sobre esse conceito.
Evidentemente que aceito a ideia, já por mim expressa por diversas vezes, de que o tempo não é um elemento físico, pura e simplesmente não existe.

Julgo que está fora de questão a geometria de Einstein em que o espaço em torno de qualquer corpo celeste se deforma e, por isso, um raio de luz é desviado na sua trajectória, porque tem de seguir as "paredes dessa concavidade esférica".
De Alfredo Castro a 26 de Outubro de 2009 às 19:26
Tal desvio pode ser causado por diversos fatores ainda não explicados. Como exemplo, a própria atração gravitacional dos astros por onde passa próxima a luz das tais estrelas, ou até algum fator como a refração em alguma atmosfera, ou algo inerente, mesmo que bem escasso. O mais estranho nisso tudo é que a astrofísica atual se baseia demais em teorias do século XIX!
De alf a 26 de Outubro de 2009 às 20:11
Alfredo Castro

Einstein explica a atracção gravitacional pela tal «curvatura do espaço». Como funciona a Gravidade?

A ideia corpuscular é que todos os corpos emitem continuamente umas partículas chamadas «gravitões» que interagem com os corpos e radiação, produzindo as alterações de trajectória.

Isto é um disparate evidente mas a alternativa é considerar que existe um meio que se deforma com a presença dos corpos e condiciona o movimento deles. Este «meio» é o espaço onde existem corpos e radiação. É o campo. É algo que não sabemos o que é e ainda andamos a ver como havemos de nomear.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres