Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

Começar de Novo

 

 

O Universo surge como?” repito a pergunta do Mário “ Achas que essa é uma questão científica, ou será antes filosófica, ou mesmo religiosa?” O Mário surpreende-se, medita um pouco e responde:

 

Sem uma resposta a essa questão não podes fazer um modelo do Universo, não tens onde «pendurar» uma teoria cosmológica.”

 

De facto, uma teoria cosmológica não se aplica a um estado de equilíbrio, mas sim a algo que evolui no tempo, que nunca se repete em instantes diferentes; o Universo é um sistema dinâmico num cenário evolutivo.”

 

Exactamente; e os sistemas dinâmicos, cujo estudo o teu ídolo Poincaré foi o mais importante iniciador, e donde nasce a teoria do Caos, dependem criticamente das condições iniciais; é por isso que sem uma hipótese sobre o início do Universo não podes construir um modelo cosmológico.

 

Mas o Einstein não fez um modelo do Universo sem nenhum Big Bang?” esta Ana sabe coisas surpreendentes.

 

Fez, mas o modelo dele era estático, era um modelo de equilíbrio; esse não precisa da definição dum estado inicial porque se repete no tempo. Mas o Universo não é assim, expande, mesmo que seja só aparentemente como diz o Jorge, logo não se repete, é sempre diferente.”

 

Contrariamente à ideia que muitas pessoas fazem dele, querendo que o «hoje» e o «amanhã» sejam iguais ao «ontem»...” murmurou, filosófica, a Ana.

 

Mário, tu estás a pensar nas condições iniciais porque o início é, normalmente, a situação que melhor podemos definir. Mas estás a pôr mal o problema: não precisamos das condições iniciais, precisamos, isso sim, de ter uma descrição completa e rigorosa num qualquer instante de tempo, não é verdade?

 

Sim, só que os estados seguintes ao início são logo demasiado complexos para os podermos definir com a precisão requerida, que é, na verdade, ter erro nulo. Não Jorge, a única hipótese é conhecer o estado inicial.

 

Pois aí é que estás enganado. Por duas razões. Primeiro, porque é uma grande ingenuidade pretender conhecer o que seja o estado inicial do Universo. A teoria do Big Bang foi feita numa altura em que ainda se conhecia muito pouco sobre o Universo e reflecte a visão ingénua que os poucos conhecimentos da época permitiam; no fundo, tal como o modelo de Aristóteles ou de Ptolomeu. Hoje conhecemos muito mais sobre o Universo. Podemos fazer um modelo a partir do que conhecemos em vez de tentarmos a todo o custo adaptar-lhe uma ingénua visão inicial.”

 

Começar de novo!” interrompe-me o Mário, com um sorriso; aparentemente, o desafio que as minhas palavras continham estava a agradar-lhe. “E qual é a segunda razão?pergunta.

 

“A segunda razão é que há um momento do Universo que podemos definir com precisão absoluta. Muito melhor do que um hipotético estado inicial. O momento ideal para iniciar o modelo cosmológico.

 

O quê? Que novidade é essa agora?

publicado por alf às 15:06
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Curioso a 14 de Novembro de 2008 às 19:48
Boas..

Só vejo um momento que pode ser definido com grande precisão ...

o da formação da matéria...o do surgimento das perturbações do médium...

Apesar de não fazer idéia como ocorreu...

Curioso.
De alf a 14 de Novembro de 2008 às 22:11
este post está um pouco pobre porque é apenas o princípio de um texto maior - o resto no próximo post.

O momento a que me refiro é um momento que observamos, não se trata de um momento teórico, mas de uma realidade observacional. Anda lá perto...
De Diogo a 14 de Novembro de 2008 às 22:51
Estou em pulgas. Terá sido em 1913, ou quatrocentos milhões de anos antes? Antes ou depois de Cristo? Antes ou depois de Deus?
De anonimodenome a 15 de Novembro de 2008 às 00:03
o curioso fez-me lembrar o antónio, por um momento. talvez tenha sido reflexo condicionado pela palavra Deus.


o meu eclado come tês, às vezes. pelo que fica o alerta.

o meu palpite é que estarás a referir-te ao momento em que foi originado o CMB. creio que não temos dados observacionais anteriores a esse momento.
venha a continuação, meu amigo.

De alf a 16 de Novembro de 2008 às 22:09
anonimodenome

creio que te estarás a referir ao Diogo, não ao Curioso.

A questão não está em ser o «primeiro momento», está em ser um momento que podemos descrever completamente - em que podemos definir a posição de cada átomo do Universo. E é esse que dizes, mas não por ser «o primeiro» ou «o mais antigo que conhecemos».
De Curioso a 16 de Novembro de 2008 às 22:38
Parece ter havido confusão... ( de nomes)

Mas fiquei com espantado com o último comentário do Alf...
Como é possível conhecermos as posições de todos os átomos do universo quando se formou o CMB?

... a não ser que a matéria se tenha formado de um modo uniforme por todo o universo... o que explicaria a isotropia do CMB... sem recorrer ao "tempo escondido" ou à inflação...

Curioso.
De Diogo a 17 de Novembro de 2008 às 22:31
E continua a conversa sobre o Big Bang. Tão verdadeiro como o aquecimento global, o buraco do ozono, a versão oficial do 11 de Setembro ou a Teoria da Relatividade de Einstein.

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

.ATENÇÃO: Este blogue é um olhar para além das fronteiras do Conhecimento actual. Não usar estas ideias em exames de Física do Liceu ou da Universidade.

.pesquisar

 

.posts recentes

. paciência, muita paciênci...

. Listem

. A Self-similar model of t...

. Generalizando o Princípio...

. Generalizando o Princípio...

. O Voo do Pombo Correio

. A Relativistic Theory of ...

. Como modelar uma nova teo...

. A Relativistic Theory of ...

. Abstract

.arquivos

. Março 2012

. Julho 2011

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds