18 comentários:
De Diogo a 28 de Setembro de 2008 às 20:54
É extraordinário o castelo de cartas que você continua a construir (of thin air). Evidentemente, os seus alter-Watsons (Mário e Luísa), continuam a alimentar-lhe o debate...
De alf a 29 de Setembro de 2008 às 01:13
Diogo


Estou a começar devagarinho. À medida que fôr avançando irá vendo o «castelo de cartas» transformar-se em inexpugnável fortaleza. Conto consigo para a tentar derrubar - para ter a certeza que não há nenhuma frincha nas paredes


De alf a 29 de Setembro de 2008 às 01:39
Diogo, eu pensei inicialmente em fazer como o Galileu e pôr o Mário a dizer todos os disparates que a ciência actual sustenta; mas o Galileu tramou-se por causa disso e temos de aprender com a experiência dos outros, não é?

O Mário representa assim o melhor que a Ciência tem e não o típico. E mais: vou aproveitar até ao limite o «edifício do conhecimento» existente, provar que está certo aquilo que nele está feito, apesar de, com uns pequenos retoques, o ir transformar em algo completamente diferente - para uso das gerações vindouras, porque esta dificilmente o entenderá.

De alf a 30 de Setembro de 2008 às 01:30
diogo

Olhe este link maravilhoso:

http://math.ucr.edu/home/baez/crackpot.html

pode já começar a somar os pontos...
De Curioso a 28 de Setembro de 2008 às 23:11
Boas...

Que viagem extraordinária... Daria um livro de ficcão científica maravilhoso... tipo "Viagem fantástica ao cérebro".
Continuo maravilhado com esta forma de ver o Universo; elegância, simplicidade e subtileza.


Ps: Seria o primeiro a comprar o livro se ele saísse...

Ps2: No livro referido acima um cientista russo descobre um processo de miniaturizar objectos através da diminuição da constante de Planck num espaço limitado... pode-se dizer que têm algo de comum com o desvanecimento.


Curioso.
De anonimodenome a 29 de Setembro de 2008 às 00:07
me desculpem meus amigos, mas à quase 20 anos que eu aguardo o livro.
estávamos a fazer os projectos de legalização das rádios locais e, estando precisado de papel de rascunho, arranquei uma página impressa do caixote do lixo e fiquei pasmado ao ler o conteúdo.
Pertencia aos primeiros documentos sobre o Desvanecimento. Perguntei por quem escreveu e pedi mais alimento.
e fiquei rico de sabedoria.
Não sei se fui o primeiro adepto. mas o alf pelo menos assim o afirmou. creio eu.
entretanto é bom saber que outros também já partilham desta sabedoria.
portanto, quanto ao livro, estou na fila desde ... amigo Curioso não vale ultrapassagens.


De alf a 29 de Setembro de 2008 às 01:22
anonimodenome

Não há problema, não fazem edições de menos de 1000 exemplares!
De alf a 29 de Setembro de 2008 às 01:20
Olá Curioso

É uma viagem desse tipo - ou quase. Ainda bem que alguém escreveu histórias dessas, porque é meio caminho andado para percebermos o que acontece no Desvanecimento; e ainda bem também que alguém escreveu o Guliver porque a seguir iremos recuar no tempo, em direcção a átomos sucessivamente maiores...

Obrigado pela amabilidade das suas palavras. O livro há de sair e eu farei questão de oferecer um exemplar aos meus comentadores - é para vocês que eu estou a escrevê-lo.
De anonimodenome a 29 de Setembro de 2008 às 00:12
a talhe de foice, permitam-me a propaganda, mas também já estou na fila para o primeiro livro do amigo António (do EmLivro).
não percam o seu blog.
e o outramargem-alf também é para ler todo desde o princípio.
De alf a 29 de Setembro de 2008 às 01:25
meu amigo, estou em querer que serás um excelente agente literário! Estás disponível?
De antonio a 30 de Setembro de 2008 às 08:22
O quê? Já estamos a entrar na era do pós desvanecimento?

Esta sua teoria entra em contradição com o pixel . Você pode comprimir o átomo , a molécula e o protão, é fácil! Mas experimente com os pixéis . Sai logo borrada.

O limite do universo é o pixel .
De alf a 30 de Setembro de 2008 às 11:52
antónio

Genial! é uma excelente imagem!

O pixel é a unidade estruturante do medium onde os desenhos existem. Há um tamanho mínimo para o desenho: o tamanho do pixel!!! Num programa de desenho pode ir reduzindo um desenho o que quiser, até chegar a esse limite!

Por outro lado, o conjunto dos pixels forma o «espaço» onde o desenho pode existir; este nasce de pixels perturbados, ou seja, que adquiriram uma cor diferente da cor do fundo.

Quando faz um filme, os pixels não se movem - é apenas a sua perturbação (côr) que se propaga entre eles.

Deus é um desenhador...
De antonio a 30 de Setembro de 2008 às 20:21
Brilhante! Afinal é tudo tão simples!
De Diogo a 30 de Setembro de 2008 às 22:02
Alf,

Você está a desvanecer-se a pouco e pouco. Quando chegaremos à Relatividade? Para a sova mestra?
De alf a 1 de Outubro de 2008 às 02:14
Diogo, de certa forma já estamos na Relatividade; estamos a perceber a relatividade do Tempo Atómico (o nosso) em relação a um tempo de referência, e estamos a perceber que as dimensões, massas, cargas e tempo podem variar sem que nós o possamos detectar, ou seja, que relativamente a nós tudo se passa como se nada variasse.

Isto é a essencia do Princípio da Relatividade - as coisas variam mas nós, porque variamos com elas, não damos por nada.

A relatividade restricta do Einstein é o caso particular da variação das propriedades físicas com a velocidade; a Generalizada com o campo: o Desvanecimento com o tempo. São 3 casos particulares do Princípio da Relatividade.

Do ponto de vista matemático, a desvanecimento é o mais simples, por isso a importância de começar por ele - eu não estou a escrever para cientistas.

Vai ter de aguardar um pouco pelas outras relatividades... há tantas coisas fascinantes no Desvanecimento... tenha um pouco de paciência e vá apreciando...


De Metódica a 26 de Outubro de 2008 às 16:51
hmm...

O fim do tempo é o espaço! O tempo pode acabar mas o espaço permanece :)

O infinito dentro do finito: isso soa a fractais
De alf a 26 de Outubro de 2008 às 18:20
Metódica

Isso mesmo, soa a fractais! Não me tinha lembrado disso, mas é uma boa imagem. Tal como nos fractais, aqui passa-se um processo de sucessiva redução de escala com conservação de propriedades geométricas locais. Boa ideia!
De Metódica a 26 de Outubro de 2008 às 21:37


Humm isso deu-me uma ideia para o método =D
Mas que só deverá aparecer la para o fim de semana ou, com mt azar na outra hihi

Comentar post