7 comentários:
De Metódica a 25 de Agosto de 2008 às 23:07
Ora viva!
Hum... grandes revelações... cheguei mesmo a tempo :)
De alf a 26 de Agosto de 2008 às 01:57
Olá metódica.. tenho estado à espera que acabem as férias rsrsrs.. o pior é que agora vou eu... será que «férias» vai rimar com «posts»?
De antonio a 26 de Agosto de 2008 às 00:57
72% de energia negra? Confirmo, basta ver um telejornal.

Muito interessante a sua explicação sobre como evoluiu o nosso entendimento em relação à matéria, ou seja, muito pouco, pois continuamos a encher o Céu de matéria negra... existe um lado nosso egocêntrico que não se deixa convencer, matéria da boa, da pura, só mesmo cá na nossa santa terrinha!
De alf a 26 de Agosto de 2008 às 02:03
António

Pois é, ao Ceu o que é do Ceu, à Terra o que é da Terra! Essa é que é a ordem natural das coisas!

Fiz uns posts já há bastante tempo na outra margem, já nem sei quais, em que fui dizendo que o nosso cérebro forma um modelo empírico do universo baseado nas percepções sensoriais; e que, cedo ou tarde, esse modelo empírico acaba por moldar os nossos modelos «científicos».
De anonimodenome a 27 de Agosto de 2008 às 13:32
Jakub Schwarzmeier na sua tese de Abril de 2007
ON SIMULATIONS OF GALAXY DYNAMICS
faz uma resenha muito actual do estado da arte sobre o tema.
fala sobre a crise CDM, divergências entre a modelação LCDM e as observações. Em larga escala o modelo corresponde às observações mas falha quando se repara nos detalhes.
copy/paste da página 107 :
Several issues complicate a picture with the (non-baryonic) dark matter on galactic scales
(CDM crisis). Computer simulations with the dark matter (e.g. Springel et al., 2006) show in
galaxies
• steep density cores (density grows in a cusp towards infinity as one approaches the halo
center),
• hundreds of satellite galaxies (dark galaxies) and
• small disk sizes.
On contrary, observations show
• shallow density profiles,
• tens of satellite galaxies (missing satellites problem) and
• large disk sizes.
Moreover, the distribution of known MW satellites, including recently discovered ones, was
found to be inconsistent with an isotropic or prolate dark matter halo distribution at a 99.5 %
level (Kroupa et al., 2005). On super-galactic scales, the predictions of ΛCDM model simulations
match observations perfectly.
Theoreticians motivated primarily by explaining nature on small scales predict the existence of
dark particles. The leading candidate for the dark matter is the neutralino from super-symmetric
(SUSY) scenarios. Dark matter particle can collide with baryons and reveal its presence in
laboratory detectors. Experiments at the Large Hadron Collider (LHC) at the European
Organization for Nuclear Research (CERN) will look for indirect evidence of such particles once
finished in 2007. Until now, however, all projects trying to detect the dark matter particles
directly or indirectly failed to proof the existence of dark particles that could be able to explain
80 % of missing matter.

os Físicos deveriam ser um pouco críticos sobre um modelo construído sobre apenas 4,6% de observáveis.

quando ele recolheu dados para a sua tese havia 80% de matéria em falta. passado pouco mais de um ano o autor teria de escrever 95% de matéria em falta.

o LCDM é convenientemente ajustado a qualquer cenário e parece que não existe crise que o faça abalar.

venha o Desvanecimento meu caro alf.
De alf a 27 de Agosto de 2008 às 17:18
Um astrónomo consciente deve ter pesadelos... e nota que as «boas notícias» como o a de que o modelo acerta com a distribuição da matéria em larga escala é uma ilusão - acerta apenas com que o pensam ser, em linhas gerais, a distribuição em larga escala. Por exemplo. não produz «quasares».

Vamos ver as novidades que o Desvanecimento trás.. Mas haj aum pouyco de paciencia que estou com dificuldades em produzir posts.


De anonimodenome a 27 de Agosto de 2008 às 16:10
na M$ MicroSoft não é tudo a pagar e esta aplicação é linda.
funciona em Windows , num PC razoável.
World Wide Telescope ou WWT
imaginem um browser tipo google earth mas para o Universo.

http:/ www.worldwidetelescope.org /

desculpem a publicidade.

Comentar post