4 comentários:
De anonimodenome a 19 de Agosto de 2008 às 09:38
olá jovens.
segundo o bom-senso e a teoria oficial as estrelas mais velhinhas deviam estar em lares da 3ª idade.
mas, de acordo com este link recente http://www.astronomynow.com/Oldglobularclusterssurprisinglyyoung.html
elas preferem manter-se em ambientes mais próprios de adolescentes. Discoteca.
O mainstream tem aqui lenha para se queimar, mas o problema vai ficar convenientemente escondido debaixo do tapete. É grande o tapete...

Quanto à incompatibilidade do modelo do BB com a Matéria, confesso que estou tão cego como todo o mundo.
Parece mais fácil a última pergunta. Arrisco que talvez fosse da natureza da matéria 'cair' na superfície da Terra e só a luz (e os espíritos) não caíam.

Parece que o Mundo está a levar a cena o espectáculo 'Ensaio sobre a Cegueira' de José Saramago, e está no ponto culminante em que estão todos cegos, excepto um personagem.

um abraço.
De alf a 19 de Agosto de 2008 às 13:53
olá anonimodenome

Rejuvenescido com a vida de discoteca das velhas estrelas? Pois claro, quem quer lares de 3º idade, que mantem vivos os corpos mas onde o espírito morre à entrada?

Esta notícia tem a ver com o seguinte: a evolução prevista dos aglomerados globulares é um pouco como a duma estrela, por ser um pedaço de matéria gravitacionalmente dependente sobretudo dele próprio - tem uma fase de baixa densidade, depois outra em que se contrai, oscila, expande; a teoria clássica dizia que se encontravam na última fase, no tal lar de 3ºidade; este estudo vem dizer que se encontra numa fase anterior.

Isto não tem a ver directamente com a idade das estrelas mas tem indirectamente; é que ao pretender que os aglomerados globulares não tenham mais de 13 mil milhões de anos, para não serem mais antigos que o «universo cosmológico», fica complicado explicar como é que eles já podem estar na última fase, as emulações exigem mais tempo do que isso. Então, a primeira solução foi recorrer à «solução exótica» do costume - buracos negros. A alternativa é considerar que afinal não estão última fase - é o que este estudo pretende concluir.

Portanto, isto encaixa no processo de tentar levar a idade das estrelas a caber na idade cosmológica.

A resposta que apresentas à pergunta foi a justificação apresentada para o «facto» de não poder haver matéria no «céu»; mas há uma razão observacional objectiva que implica que não poderia existir matéria no céu, independentemente de quaisquer raciocínios à posteriori ou considerações mais ou menos filosóficas sobre a «natureza profunda» da matéria.

A incompatibilidade do BB com a matéria é indiscutível. A presença de matéria no modelo é um incómodo, reduzido à expressão ínfima, cujos efeitos são ainda anulados pela energia negra; e para calcular o movimento dos corpos no sistema solar, incluindo o dos satélites, as equações do BB não entram.
De antonio a 23 de Agosto de 2008 às 15:38
Ptolomeu tinha razão, a vida material não pertence ao Reino dos Céus... quanto à origem do Universo, lá na empresa tenho uns colegas que de tão velhos foram seguramente contemporâneos do BigBang , se quiser eu pergunto-lhes, alguns ainda estão suficientemente lúcidos para se lembrarem.
De alf a 23 de Agosto de 2008 às 18:42
Se esses colegas são tão velhos como o BB, então a sua idade deverá ser próxima da semivida da matéria... humm, não convém pensar muito nisso...

Comentar post