Terça-feira, 12 de Julho de 2011

Listem

 

A quem estiver a ler o artigo que anunciei no post anterior (amigo Curioso, este post é especialmente dedicado a si :-)) venho pedir que liste as partes, as secções ou subsecções, que lhe parecerem mais difíceis de ler ou, simplesmente, chatas. Este texto destina-se a uma gama alargada de pessoas e coisas que podem ser simples para umas podem ser muito confusas para outras, pelo que a contribuição de diferentes pessoas ajudará a conseguir um texto mais claro. E, claro, apresentem também as dúvidas, pontos de discordância, contestações. Obrigado, eu e os futuros leitores ficaremos muito gratos.

publicado por alf às 14:03
link do post | comentar | favorito
|
11 comentários:
De antonio ganhão a 12 de Julho de 2011 às 19:26
... Existem partes menos chatas?
De alf a 12 de Julho de 2011 às 23:27
...os artigos científicos têm de ser chatos para serem levados a sério...não podem é abusar...
De Curioso a 18 de Julho de 2011 às 15:57
Olá...
já comecei a ler... e a maioria das coisas referidas já tinha sido discutida no blog.
Tenho que ir devagar... pois não não tenho muito tempo... mas vou fazer uma lista das partes mais difíceis de perceber e depois direi qualquer coisa...
Durante esta semana vou pedir alguns esclarecimentos...
Abraço
Curioso.
De alf a 18 de Julho de 2011 às 17:26
Obrigado amigo curioso, fico muito grato pela sua colaboração.

O antónio tem razão, o artigo está bastante chato (é normal nos artigos científicos e nos manuais dos equipamentos, mas eu não tenho de seguir «o normal»)

Estou a finalizar uma versão 2; uns pequenos toques aqui e ali são o suficiente para tornar isto mais claro e interessante. Mas o que eu penso que pode estar confuso ou chato pode não ser o mesmo que os leitores pensam e por isso a sua opinião é muito importante; vá dizendo o que vai sentindo; e a parte IV pressupõe o conhecimento dos modelos cosmológicos, coisa que praticamente só quem tem formação específica em cosmologia sabe, a sua parte matemática não interessa nada a não ser para testar a teoria, embora a parte final, depois da matemática, já contenha coisas interessantes e acessíveis.

abraço
De Alfredo Castro a 1 de Dezembro de 2011 às 20:53
Os livros de física dita "avançada" são notoriamente chatos, incompreensíveis, por que na VERDADE, seus autores intentam obscurecer qualquer tentativa de elucidação dos problemas abordados, pois que isso acarretaria num real avanço na área, o que é considerado perigoso e terminantemente rejeitado pelos dominantes políticos: o livre acesso à informação. Assim somos enganados: mentirosos escritores da física, e vezes até inocentes úteis aos dominantes.
De alf a 18 de Dezembro de 2011 às 14:23
Alfredo de Castro.

Sabe, a natureza humana é terrível; se um cientista se der ao trabalho de fazer um livro nem explicadinho, logo os seus colegas criticarão o seu esforço; se escrever de forma a que não se entenda metade, dirão que ele é uma pessoa muito inteligente.

Além disso, quanto mais "esotérico" mais as pessoas dão credibilidade; é por isso que as religiões têm de ter "mistérios" e aspectos incompreensíveis - se forem «lógicas» ninguém lhes liga.

O problema não é portanto só dos cientistas, é um problema da nossa natureza humana.

Para além disso, um livro sobre um assunto científico não pode tratar o assunto desde a base, temos de começar pelo princípio para podermos compreender livros mais avançados; e temos de conhecer a linguagem usada; e isso não é fácil

Abraço
De Diogo a 17 de Dezembro de 2011 às 22:03
Caro Alf,

Um dos pilares de que você parte para a sua tese é a teoria relatividade generalizada. Ora, esta deriva da relatividade restrita. E é extremamente simples demonstrar que esta está errada. Eu sei fazê-lo.

Outro pilar da sua tese é o Big Bang. E o Big Bang é absurdo. Também é fácil explicar porquê.

Donde, a sua tese está mais esburacada do que um queijo suíço.

Abraço
De alf a 18 de Dezembro de 2011 às 14:11
Diogo

Obrigado pela sua colaboração.

A Relatividade Restrita tal como o Einstein a escreveu só tem um pequeno mas relevante erro; a versão que se ensina hoje nas universidades e devia a Minkowsky é um disparate.

A minha teoria não se baseia no Big Bang, pelo contrário, acaba com ele. Aliás, mesmo a teoria oficial já acabou com ele, a "energia negra" dispensa um Big Bang - como se chegou à conclusão que a expansão do espaço acelera, introduziu-se a energia negra para explicar a expansão acelerada, uma vez que uma explosão inicial apenas originaria um expansão a perder velocidade ao longo do tempo por travagem gravítica; mas se existe energia negra, então já não é preciso um Big Bang para nada. Isto no quadro do modelo standard, porque no meu nem Big Bang nem energia negra.

Abraço
De Alfredo Castro a 19 de Dezembro de 2011 às 22:11
Agradeço o e-mail (equipe do blog). Alfredo Castro, hoje, aqui.
De vbm a 2 de Janeiro de 2012 às 17:44
Bom Ano Novo, Alf .

Vi a tua mensagem de Ano Novo
no blog do Peter , e vim aqui
ao "Outra Física" e noto
ter mais alguns
artigos!

Virei lê-los.

Apreciei todo o curso,
que depois interrompeste,
mas vou acrescentar-lhe
os novos posts '.

Abraço,
Vasco
De alf a 2 de Janeiro de 2012 às 20:36
Vasco

Bom Ano Novo Vasco!

Obrigado pelos teus votos.

Estes últimos posts não terão grande interesse... dão conta de um artigo que fiz com esta teoria. Estou agora a trabalhar numa 2ª versão, não fiquei completamente satisfeito com a primeira. Quando estiver concluída, começarei uma longa maratona para tentar divulgar estas ideias. Por agora, este blogue está paradinho; e eu também ando muito ocupado com a crise (é veres os posts no outramargem-alf), a procurar entender este mundo dos humanos. Mas já estou quase a conseguir rsrsr

Abraço
Alf

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

.ATENÇÃO: Este blogue é um olhar para além das fronteiras do Conhecimento actual. Não usar estas ideias em exames de Física do Liceu ou da Universidade.

.pesquisar

 

.posts recentes

. paciência, muita paciênci...

. Listem

. A Self-similar model of t...

. Generalizando o Princípio...

. Generalizando o Princípio...

. O Voo do Pombo Correio

. A Relativistic Theory of ...

. Como modelar uma nova teo...

. A Relativistic Theory of ...

. Abstract

.arquivos

. Março 2012

. Julho 2011

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds